jusbrasil.com.br
3 de Abril de 2020
    Adicione tópicos

    Assembleia debate violência no trânsito em Audiência Pública

    A Assembleia Legislativa da Paraíba realizou nesta quinta-feira (24) uma Audiência Pública com o objetivo de debater ações pontuais para diminuir a violência no trânsito na Paraíba.

    A sessão foi uma propositura do deputado Jeová Campos e contou com a participação dos deputados Bosco Carneiro e Buba Germano, representantes do Detran, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e bombeiros civis, além de representantes da Marcha para Jesus e Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PB).

    Para o deputado Jeová Campos, a violência no trânsito atinge, na sua maior parte, pessoas que estão em idade produtiva de trabalho. O parlamentar também defendeu leis mais rígidas para quem cometem crimes no trânsito. “Apesar das obrigatoriedades do cinto de segurança, limite de velocidade e proibição do álcool ao volante, ainda tem muita coisa a se conquistar no que diz respeito às leis de trânsito”, destacou.

    Jeová também ressaltou que o Código Nacional de Trânsito tem muita coisa a avançar.”Crime de trânsito deve ser responsabilizado de acordo com o tamanho. E se tiver consumido álcool, a punição tem que ser maior ainda”, pontuou.

    Já o deputado Bosco Carneiro parabenizou a iniciativa da discussão e destacou a importância de falar sobre os acidentes de trânsito. “Eu sou do interior e presencio nas estradas a imprudência. A educação é a única forma de combater a violência no trânsito”, resumiu.

    A chefe da Divisão de Educação para o Trânsito do Detran-PB, Abimadade Vieira, destacou que o assunto vem preocupando os órgãos de trânsito por conta dos alarmantes indíces de violência nas estradas da Paraíba.

    “Temos um hospital de Trauma de Campina Grande que registra 840 acidentes de motociclistas por mês. Em João Pessoa, são registrados cerca de 700 acidentes. A cada 12 minutos uma pessoa morre vítima do trânsito no país”, lamentou.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)